Centro BenQ Knowledge

As luzes brancas/quentes afetam não apenas as cores, como também o seu ritmo dia/noite!

Wit Screenbar LED reading light
2019/03/06

A vida é cheia de luz. O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2017 foi concedido pela descoberta de mecanismos moleculares que controlam os ritmos circadianos. Usando moscas da fruta como organismo modelo, os cientistas identificaram um gene que controla uma proteína que regula o ritmo circadiano. Um relógio físico externo muda com o dia e a noite, enquanto um relógio biológico interno (também chamado de “relógio biológico”) adapta a nossa fisiologia às fases do dia, e isso é conhecido como ritmo circadiano.

Como os ritmos circadianos afetam mecanismos dentro de um corpo humano?

O núcleo supraquiasmático (SCN) no cérebro recebe sinais externos das mensagens de luz e do corpo para coordenar o sistema nervoso autónomo que modula a secreção de melatonina e corticosteróides suprarrenais. As duas hormonas marcam os ritmos internos de nossos corpos, regulando o relógio biológico e muitas funções do corpo.

A luz ao nosso redor provavelmente estimulará o SCN e afetará os ciclos fisiológicos dos corpos humanos, causando mudança de fase. Como mostrado na Figura 1, um estímulo, neste caso, a luz que entra nos olhos, durante o anoitecer e a noite, terá um efeito retardador no ritmo circadiano. Consequentemente, isso leva-nos a dormir mais tarde à noite e acordar mais tarde, o que, por sua vez, afeta o tempo a que vamos para a escola ou local de trabalho. Na prática clínica, a terapia de luz é aplicada para tratar distúrbios do sono dos trabalhadores noturnos. Antes de dormir, a glândula pineal no cérebro libera quantidades adequadas de melatonina para nos lembrar que é hora de ir para a cama. É assim que a luz afeta o ritmo circadiano. Uma boa iluminação pode ajudar consideravelmente na sincronização do ritmo circadiano, beneficiar a qualidade do sono e melhorar a função cognitiva.

Figura 1: Ritmo circadiano e o efeito do deslocamento de fase (Fonte: Wikipedia)

Escolha Branco ou Quente, a luz certa para si é a melhor!

Na vida quotidiana, estamos mais frequentemente expostos à luz branca azulada e à luz quente. É a temperatura da cor que as diferencia! A temperatura da cor é a temperatura de um radiador de corpo negro que emite luz de cores diferentes, de vermelho a laranja, amarelo e azul, quando aquecido a diferentes temperaturas. Quanto menor a temperatura da cor, mais amarela/mais quente a cor se torna; quando a temperatura da cor aumenta, a cor muda de branco para azul. As cores da iluminação afetarão a secreção de melatonina. Em comparação com a luz quente, a luz branca contém mais do espectro azul. Na luz branca, ficamos mais alerta, pois inibe a secreção de melatonina. Por outro lado, a luz quente tem pouco efeito sobre a secreção de melatonina. É por isso que nos sentimos mais relaxados com a luz quente. Devemos escolher uma iluminação adequada para atender às necessidades de trabalho individuais. No trabalho, a luz branca com uma temperatura da cor elevada ajuda a manter o foco, enquanto a luz quente com uma temperatura da cor baixa (<3000 K) é melhor quando precisa de um tempo de leitura descontraído, pois raramente afeta a secreção de melatonina, permitindo que descontraia e diminua o seu estado de alerta antes de ir para a cama, para ter um sono de qualidade e preparar-se para a próxima manhã maravilhosa.

 

Atualmente, a maioria das pessoas passa 90% do tempo em ambientes fechados. A iluminação interior tornou-se assim mais importante para a geração atual. Ao contrário dos ambientes externos, que apresentam várias temperaturas de cor, os ambientes internos são geralmente condicionados por uma fonte de iluminação fixa com temperatura de cor fixa. A iluminação afeta os nossos ritmos circadianos, bem como a nossa qualidade de sono e saúde.

Figura 2: Efeitos da luz branca e da luz quente nas nossas vidas

Sugerido em estudos anteriores, as células ganglionares da retina intrinsecamente fotossensíveis (ou ipRGCs) têm um efeito significativo sobre os relógios biológicos no nosso corpo. A luz do dia é composta por uma proporção maior de luz azul, que inibe a melatonina, mas aumenta a melanopsina. Depois de absorver a luz, a proteína desencadeia uma reação química na qual os eletrões são transmitidos de volta para as células. Os estudos indicam que os fotorrecetores das células ganglionares contendo melanopsina ajudam o cérebro a diferenciar o dia da noite, o que torna as pessoas mais vigilantes durante o dia. Portanto, se quiser ser enérgico durante o dia, talvez sem precisar de tomar café, tudo o que precisa de fazer é aumentar a temperatura da cor da sua iluminação. Segundo o Centro de Pesquisas em Iluminação do Rensselaer Polytechnic Institute, uma mudança na iluminação (ou seja, o ajuste da temperatura da cor) numa empresa afeta positivamente o ritmo circadiano e a qualidade do sono dos funcionários e mantém os seus níveis de eficiência diários.

 

A geração atual tende a ter dificuldade em adormecer, provavelmente por causa da luz azul emitida pelos ecrãs que eles observam antes de dormir. Alterá-lo para luz vermelha, ou usar um aplicativo de filtro de luz azul, melhorará facilmente a qualidade do sono. Ajuste sua rotina diária melhorando seu ritmo circadiano. Pode ser uma boa ideia começar a alterar a temperatura da cor da iluminação interna.

TOP