Centro BenQ Knowledge

A largura de banda do cabo HDMI tem importância?

BenQ
2020/04/26
HDMI cable bandwidth does matter for content transmission

Certamente que sim, e isso aplica-se quer esteja a trabalhar com um monitor, projetor, projetor portátil ou com o seu fiável televisor. Embora, até ao aparecimento do HDMI 1.3, a frase “todos os cabos são iguais” fosse mais ou menos correta, desde que chegou o HDMI 1.4 e com o advento do 4K, as várias larguras de banda de cada cabo para a transmissão de dados fazem uma grande diferença.

Para colocar as coisas na devida perspetiva, o HDMI 1.3 pode transferir 10,2 Gbps (gigabits por segundo) e não suporta o 4K, de todo. Essa versão de HDMI está agora obsoleta: é um produto do princípio do século e da era dos 1080p. O HDMI 1.4 tem a mesma largura de banda de 10,2 Gbps. Foi pensado como uma atualização rápida do HDMI 1.3, com compatibilidade com 4K a 30 Hz e sem HDR. Depois, aconteceu um passo de gigante com o HDMI 2.0, que quase duplicou a largura de banda até aos 18 Gbps. Isso permitiu o 4K a 60 Hz (ou 60 fotogramas por segundo) mais metadados HDR. Por isso é que o HDMI 2.0 foi tão eficaz na popularização do vídeo 4K HDR e, mais importante ainda, dos jogos em 4K HDR. Enquanto o 4K a 30 Hz pode ser bom para alguns géneros de jogos, o 4K a 60 Hz oferece um bom desempenho mesmo para os títulos mais dependentes de reflexos rápidos.

Mais recentemente, chegou o HDMI 2.1, o maior desenvolvimento na história do HDMI. Este monstro mais que duplica a largura de banda, indo até aos 48 Gbps. O HDMI 2.1 é compatível com 4K a 120 Hz e 8K e 60 Hz, pelo que a sua longevidade vai ser considerável. O excesso de largura de banda é suficiente até para funcionalidades como o modo automático de baixa latência e para frequências variáveis de atualização, duas funcionalidades destinadas diretamente aos jogos de gama alta. O HDMI 2.1 é ainda compatível com a próxima geração de HDR, conhecida como HDR dinâmico. Como é fácil de perceber, o HDMI dinâmico ajusta os parâmetros da imagem em andamento, em vez de gerar um perfil HDR fixo. Surpreendentemente, o HDMI 2.1 até suporta uma resolução de 10K a 24 Hz para conteúdos cinematográficos e de televisão.

Assim sendo, sim, definitivamente a largura de banda do HDMI faz a diferença. Os dias em que se podia comprar um cabo qualquer já ficaram para trás. 

Como posso saber se o meu cabo HDMI está a funcionar?

Dado que o HDMI funciona como um conetor digital, a sabedoria popular dizia outrora que ou se recebia sinal ou não se recebia e que essa era a forma de saber se funcionava. Embora isso continue a ser válido em situações extremas (como é o caso de um cabo completamente avariado), não é aplicável quando se está a tentar testar as nuances de largura de banda de um cabo HDMI.

Dado que todos os cabos e versões de HDMI são compatíveis com versões anteriores, um cabo HDMI 2.0 fabricado de forma defeituosa, que só consegue gerir 15 Gbps em vez de 18 Gbps, continuará a funcionar aparentemente bem. No entanto, não conseguirá apresentar uma imagem totalmente 4K a 60 Hz HDR. É preciso estar relativamente atento a sinais de aquecimento ou de largura de banda insuficiente.

O mais óbvio são as perturbações. Se houver partes do ecrã que cintilam ou se todo o ecrã ficar verde (ou de qualquer outra cor) durante uma fração de segundo, então estamos perante um estrangulamento de largura de banda. Se possível, vá às definições dos seus dispositivos e altere as coisas. O mais fácil será por amostra cromática. Um bom cabo HDMI 2.0 pode dar 4K a 60 Hz HDR em 4:2:2. Se o forçar a passar conteúdo 4:4:4, poder-lhe-ão ocorrer as perturbações de que falámos anteriormente.

Da mesma forma, se o cabo HDMI 2.0 apresentar perturbações ao passar conteúdo em 4:2:2, sem que isso aconteça se mudar as definições para 4:2:0, então ficará a saber que não tem realmente capacidade para uma largura de banda de 18 Gbps.

Quais são alguns outros sinais de largura de banda insuficiente?

Para além de uma coloração do ecrã ocorrida numa fração de segundo, poderá aparecer-lhe algo que parece neve ou faíscas. Tudo isto significa simplesmente que não há espaço suficiente para aquilo que o cabo de dados está a tentar transferir e o que falta é apresentado como “lixo” em vez da imagem real do conteúdo.

Os clarões e faíscas acontecem quando os seus dispositivos de origem (consola, caixa de streaming, aplicação de streaming, o PC, etc.), o cabo e o ecrã (monitor, projetor, TV) falham a negociação de uma ligação estável. O HDMI é um padrão de ligação inteligente e ativo. Isso significa que os componentes que liga e o cabo correspondente conversam continuamente entre si. Se os seus elementos de processamento forem suficientemente sofisticados, podem ajustar automaticamente a qualidade da imagem para impedir perturbações. Poderá constatar isso indo às definições ou verificando a informação de dados da imagem. Se o cabo HDMI não for suficientemente bom, irá perceber que aquilo que está a ver não é, afinal, HDR pois os dados HDR estarão desativados ou bloqueados. Ou indicarão 4:2:0, quando estaria à espera de 4:2:2.

Alguns dispositivos, como a Apple TV, Xbox One e PlayStation 4, possuem testes ao cabo HDMI e fornecem informação bastante detalhada relativamente àquilo que o cabo suporta. Utilize essas funcionalidades! 

Então como é que escolho um bom cabo HDMI?

É, sem dúvida, uma pergunta difícil. Obviamente, deverá restringir-se a marcas conhecidas ou marcas com as quais já teve boas experiências. Compre a revendedores respeitáveis e verifique as especificações no cabo em si. Contrariamente ao cinismo moderno, os fabricantes de cabos raramente mentem em relação às especificações, porque não vale a pena correr o risco. Se um cabo diz HDMI 2.0 premium, então terá 99% de probabilidades de que ele seja compatível com a largura de banda completa de 18 Gbps.

Finalmente, precisará de ficar de olho no desempenho do cabo. Esse é o único teste experimentado e comprovado. Os problemas drásticos manifestar-se-ão imediatamente como perturbações expressas em clarões e faíscas. É importante não ficar paranoico: ao contrário daquilo que por vezes possa ouvir, os cabos HDMI NÃO causam o efeito de “tearing”, fantasma ou um horrível atraso de entrada. Podem vir a contribuir para esses problemas, mas não serão eles que os causarão, pois esse papel cabe aos seus dispositivos de origem e de apresentação.

Esperamos que isso o tenha ajudado a sentir-se melhor em relação aos seus cabos HDMI!

TOP