Centro BenQ Knowledge

As melhores dicas de fotografias caninas para a BenQ, por Alex Cearns

Alex Cearns
2020/05/25

Sobre o autor

Alex Cearns (Medalha da Ordem Australiana) é uma fotógrafa de animais e mascotes, coach empresarial e autora de renome mundial. Na sua empresa, Houndstooth Studio, fotografa mais de 1000 dos seus adorados cães todos os anos e, esteja onde estiver, o foco natural da sua lente está sempre apontado aos amigos locais de quatro patas.

Ela vive com os seus dois cães resgatados, Pip e Pixel, e pode dizer-se que é uma senhora louca por cães, que são os seus animais favoritos.

“Para mim, os cães são amor e luz. Estão sempre alegres e dão-nos tanto em troca”, diz ela. “São os nossos melhores amigos e companheiros leais, sempre felizes por nos verem e encantados com cada dia que passam connosco. Têm um coração puro e só querem agradar. Nada me faz sorrir com mais vontade do que passar tempo com os meus cães e rir das suas palhaçadas e tropelias adoráveis. Fotografá-los é algo de que gosto muito pois consigo assim preservar as memórias especiais do tempo que passamos juntos”.

A Alex partilha as suas melhores dicas de fotografia canina, para o ajudar a fazer fotos fabulosas e dá-lhe ainda alguns conselhos sobre como fotografar cães resgatados num abrigo.

O que precisa

Os requisitos básicos necessários para fotografar cães são o equipamento e os protagonistas. Precisa de equipamento fotográfico (eu uso exclusivamente a gama de lentes Super Performance Series da Tamron) e cães que posem para si. Pode fotografar o seu próprio cão, ou o cão de um amigo ou familiar, ou até oferecer-se para fotografar no abrigo local para cães resgatados. Mais à frente falaremos disto, mas, primeiro, vamos às minhas dicas sobre fotografias de cães.

Diversão e frivolidade

Começo por esta dica porque é, realmente, a mais importante de todas: não vale a pena fazer nada que não seja divertido.

A chave para fazer fotos de rafeiros relaxados e felizes é criar um ambiente onde eles estejam, efetivamente, relaxados e felizes. Certificar-se de que o seu cão se sente seguro é a chave para obter fotos maravilhosas. O humor do cão reflete-se na sua face e na linguagem corporal e, ao tornar a sessão numa experiência positiva e divertida, ele verá a sessão fotográfica como uma aventura, dando-lhe a si a recompensa de um grande sorriso e de uma energia transbordante.

Se o interesse do cão se começar a desvanecer, ou se, simplesmente, não estiver para aí virado nesse dia, pode sempre adiar a sessão para um momento em que ele se sinta mais brincalhão. Tal como as pessoas, alguns cães estão mais ativos de manhã, enquanto outros preferem maior agitação à tarde. Escolha o momento de atividade ideal para o seu cão e use-o para tirar partido dele nas suas fotos. Evite fazê-lo posar demasiado ou controlá-lo em excesso, pois a regra geral é que, quanto mais os fizer posar, mas eles farão exatamente o contrário do que pretende. Se os deixar à vontade, estarão mais relaxados, e poderá captar a sua verdadeira personalidade.

Brinquedos e guloseimas

A maioria dos cães são conquistados com brinquedos, com guloseimas, ou com ambos! Depois de saber a que responde melhor o seu cão, use-o para obter a sua atenção. Se agitar uma guloseima sob o nariz do cão e depois a puxar para cima, é muito provável que ele olhe para si e poderá usar esses segundos preciosos em que ele está focado na guloseima, para tirar as suas fotos.

Da mesma forma, se os objetos que o mantêm junto a si forem um brinquedo que chia ou uma bola de ténis, pode segurá-los perto dele para o fazer interessar-se e depois escondê-los enquanto ele está à espera que os atire. Não se esqueça de o recompensar regularmente, ou poderá acontecer que a atenção da sua mascote se comece a desvanecer. Se o seu cão for particularmente ativo, pode dar-lhe um brinquedo para brincar ou uma guloseima para roer, para o manter mais tranquilo. 

Rapidez e antecipação

Esperar até que surja aquela fração de segundo que dá a oportunidade de uma foto perfeita exige antecipação e depois rapidez. Assim que vir o momento oportuno, aproveite-o imediatamente! Isto é uma técnica que se desenvolve com a prática e o desenvolvimento das máquinas fotográficas digitais permite-lhe tirar tantas fotos quantas as que forem precisas até obter a imagem que procura.

Conheça bem tudo o que puder sobre o comportamento e hábitos do seu cão e passe algum tempo a observá-lo antes de começar a fotografar. Ele inclina a cabeça quando ouve um determinado som? Ensinou-o a fazer habilidades? Pode começar a planear a resposta dele com base no que lhe pede para fazer, como dar a pata ou rebolar no chão. Estas brincadeiras são ótimas para serem captadas com a sua câmara e produzirão imagens variadas do seu cão.

Seja paciente

A primeira coisa que tive de aprender quando comecei a fotografar animais foi a ser paciente e isso é um fator crucial ao tirar fotografias ao seu cão. Repetir movimentos e palavras de forma calma e suave cria um ambiente descontraído para a sua mascote. Se der as suas ordens num tom feliz e descontraído, poderá encorajar o seu cão a focar-se em si e poderá apanhar aqueles momentos fotográficos ideais que surgem numa fração de segundo.

Gosto de pensar na paciência em fotografia de cães como um processo em três passos..

  1. Esperar calmamente até que o seu protagonista canino faça o que pretende
  2. Tirar um conjunto de imagens para apanhar “aquela imagem”
  3. Se perder o momento certo, volte ao passo 1 e repita o processo

Perspetivas e fundos

Seja criativo e experimente com diferentes perspetivas, ângulo e pontos de vista. A verdade é que não existem regras rígidas e rápidas de composição em fotografia: por vezes, as imagens mais interessantes estão descentradas ou são mesmo um pouco extravagantes. Os cães estão mais perto do solo do que nós, por isso, faça uma série de imagens deitado no chão e fotografando-os do ponto de vista deles. Ou pense em fazer fotos diretamente à altura dos olhos deles quando estão sentados, ou fotografe-os de cima, apontando a câmara diretamente para eles. Pode até ignorar partes deles ampliando a imagem para um grande plano só do nariz ou dos olhos em pormenor. Não se esqueça das patas, caudas e orelhas para captar algo que dê uma sensação mais abstrata.

Não se esqueça de verificar o fundo para ver que objetos estão ao lado ou por trás do seu protagonista. Cadeiras, pessoas, caixotes do lixo, postes de iluminação e outros cães (para nomear apenas alguns) podem arruinar as suas fotos e são algo a que deve estar atento. Pode afastar as pessoas e os outros cães e, no caso de objetos inanimados, pode alterar o ângulo da foto ou levar o cão para outro lado, a fim de evitar o aparecimento desses elementos na sua imagem.

As características interessantes que adicionam algo às suas imagens podem ser uma contribuição, enquanto objetos indesejados ou desordem só funcionam como distrações. Tento optar por fundos limpos e simples, como relva verde ou céu azul, um bonito banco de jardim ou uma superfície com um determinado padrão. Se o seu cão não se mantém quieto, coloque-o sobre uma cadeira ou um banco resistente, onde se sinta confortável. Isso dar-lhe-á alguns segundos preciosos, pois não conseguirá correr tão rapidamente como se estivesse no chão.

Sobretudo, o tempo que passa com o seu cão deve ser divertido e fotografá-lo não é exceção a isso. Faça com que a sessão seja fácil e descontraída e, acima de tudo, divirta-se. Desfrutar da experiência é tão importante como o resultado final.

Contribuir

Uma maneira maravilhosa de contribuir para os cães que precisam e também de aperfeiçoar as suas capacidades fotográficas, é fazendo voluntariado num abrigo para cães da sua zona.

  1. Para trabalhar com cães abandonados, há algumas coisas a ter em conta.
  2. Siga os passos acima para fazer com que o seu protagonista se deixe envolver.
  3. Conte com a ajuda de um elemento do pessoal do abrigo ou de um voluntário para lidar com os cães.
  4. Escolha um local para fotografar que seja numa área segura, calma e longe de distrações.
  5. Tenha em conta que alguns cães sofreram abusos no passado e podem ficar nervosos junto de estranhos, ou podem ter medo quando levantar a câmara.
  6. Mova-se de forma lenta e deliberada, mantenha o tom de voz baixo e verifique se a sua linguagem corporal não poderá parecer ameaçadora.
  7. Deixe o cão acalmar e habituar-se a si, antes de começar a fotografar.
  8. Muitas vezes trabalhará com cães que ainda têm as suas coleiras e trelas, por isso prepare-se para usar software de retoque das imagens, se preferir o aspeto “despido”.

 

O que fazer a seguir

Agora que tem uma seleção de fotografias ótimas na sua máquina, o que pode fazer a seguir? Na minha opinião, as imagens não ganham vida enquanto não são partilhadas de alguma forma, seja online, através de um site ou plataforma das redes sociais, ou impressas para a felicidade de todos os que as veem.

Ao finalizar cada sessão de fotos, transfiro as minhas imagens para uma pasta num disco rígido, da qual é feita uma cópia de segurança na nuvem. O nome da pasta tem normalmente a data e o nome do protagonista. Depois faço uma pequena auditoria e reduzo as imagens para umas tantas imagens favoritas. Se tenho várias fotos quase iguais, escolho a que for mais nítida, mais envolvente, e prefiro escolher uma só foto forte, em vez de três semelhantes.

Uso o Photoshop para editar as minhas imagens no meu monitor BenQ. Isto garante que as cores e os tons da minha foto final sejam precisos, o que é muito importante para mim. Quer esteja a partilhar a imagem online ou a imprimi-la para mim ou para um cliente, quero que ela reflita exatamente o modo como a editei.

Assim que as minhas edições estão concluídas, já estou a pensar no próximo cão que gostaria de fotografar e, muito em breve, estou a começar de novo todo o processo da minha sessão fotográfica.

Alex Cearns

Fotografia animal / Austrália

A fotógrafa australiana Alex Cearns cria magníficos retratos de animais que transmitem a alegria intrínseca que as pessoas encontram nos animais.

Encontre a Alex online em

TOP