Centro BenQ Knowledge

BenQ Projetor de cinema em casa: Revivificação dos olhos do realizador

Como Hsin-yao Huang, o vencedor do Prémio Golden Horse de Melhor Novo Realizador disse que não quer ver filmes com as suas cores a enfraquecer noutros meios.

BenQ Taiwan

"As pessoas ricas levam uma vida colorida, enquanto as vidas das pessoas pobres são a preto e branco". Esta linha é um excerto do filme The Great Buddha+. Este filme, com 90% dos seus fotogramas produzidos a preto e branco, ganhou 5 prémios no 19º Festival de Cinema de Taipé e o Prémio de Melhor Novo Realizador no 54º Festival de Cinema de Golden Horse pelo seu realizador, Hsin-Yao Huang. O contraste forte entre cor e escala de cinzentos é usado por Huang para expressar o desamparo das pessoas em lidar com o fosso social. Tal como em muitos outros filmes, as cores são dotadas de um significado especial na história. O realizador trabalhou em todos os detalhes, desde os figurinos e design de arte no período de pré-produção até à iluminação, à temperatura da cor e às texturas durante as filmagens, e à luz e à cor de pós-produção, para se focar no sentimento exato apresentado pelas cores na história.

--Bert Monroy

--Imagem fornecida por: CATCHPLAY ON DEMAND

O nascimento de um grande filme depende não só dos esforços do realizador, mas também de todas as pessoas envolvidas em todos os aspetos da produção cinematográfica. Cada detalhe da elaboração do filme está interligado. Desde a criação do roteiro até à filmagem no local, do hardware ao software, todos os aspetos de todo o processo devem ser seriamente levados em consideração. Apesar de todos esses esforços meticulosos, Huang raramente assiste às suas próprias obras depois de terminarem.

Huang: “A menos que o filme tenha sido exibido num cinema ou em outros ambientes de reprodução excelentes, não gostaria de o ver novamente. Assistir ao filme num ambiente mal equipado deixa-me triste”, disse Huang, com alguma frustração.

Como cineasta profissional, quais são os elementos essenciais de um bom filme, na opinião do realizador?

Os avanços e as mudanças na tecnologia alteraram os hábitos das pessoas para assistir a filmes. No passado, as pessoas tinham de ir aos cinemas para assistir aos filmes mais recentes. Se quisesse relembrar esses filmes em casa, só tinha disponível o VHS. Mais tarde, os formatos de vídeo VCD, DVD e Blu-Ray foram introduzidos no mercado, uns após os outros. Embora as imagens nesses formatos de vídeo não possam competir com as dos projetores de cinema, a qualidade da imagem foi aperfeiçoada consideravelmente, sendo muito mais intensa e delicada do que a que o VHS poderia oferecer. Aparentemente, esses formatos melhoraram a qualidade de visualização. No entanto, também trazem preocupações ocultas que os realizadores não podem ignorar. Ao contrário dos projetores de cinema, que emitem uma luz através de uma lente transparente e projetam imagens para o ecrã grande, esses novos meios requerem um monitor de ecrã plano que use retroiluminação. E os monitores com retroiluminação LED facilitam a obtenção de cores imprecisas.

Quando se fala sobre "vermelho", a que "vermelho" nos estamos a referir? Os projetos bem trabalhados do realizador são muitas vezes negligenciados

H: “As cores costumam ser manipuladas em filmes para retratar diferentes ambientes. Em O Grande Buda+, o filme foi principalmente a preto e branco e misturado com algumas cores. O contraste entre o preto e branco e as cores foi para destacar a tensão da história. Outro exemplo é a cor vermelha. No filme O Grande Hotel Budapeste, de 2014, a cor vermelha estava saturada e era tão vermelha que não só contou uma história maravilhosa, como também estimulou uma sensação de conforto no público. Mas mais tarde, quando vi o filme novamente na casa de um amigo, o vermelho era tão marcante que quase me distraiu do enredo. É por isso que acho a precisão das cores um fator extremamente importante. Quando as cores são imprecisas, o filme perde as intenções originais do seu realizador e dos outros que nele intervêm. Por outro lado, essas cores imprecisas poderiam distrair o público do filme, o que acho uma grande pena”.

Huang acredita que a precisão das cores é uma parte essencial da visualização de filmes. Mas como realizador, ele pode simplesmente supervisionar as cores do filme só quando o filme estiver terminado.

H: “Quando o filme vai para a fase de reprodução, fica fora do meu controlo. Algumas pessoas assistem ao filme em TV e computadores. Hoje em dia, mais e mais pessoas veem filmes nos seus computadores e tablets. Cada fabricante possui o seu próprio conjunto de vídeo integrado e otimização de vídeo. Costumo dizer que quando alguém edita demasiado as suas fotos, as pessoas podem não reconhecer essa pessoa. Da mesma forma, quando um vídeo é otimizado, perde os detalhes originais que o filme pretende apresentar. Assim, tenho o hábito de não estar disposto a assistir novamente aos meus filmes depois de estarem concluídos, porque as cores originais são perdidas quando são retocadas em diferentes ferramentas de visualização”.

--Imagem fornecida por: CATCHPLAY ON DEMAND

A experiência de visualização imersiva de assistir a um filme com um projetor de nível de cinema

Os filmes são filmados através do princípio da fotossensibilidade. No início, foram gravados em negativos de filmes, e por enquanto são filmados com câmaras de filme digital que também funcionam com os conceitos de fotossensibilidade e projeção para produzir imagens. Huang acredita que a melhor maneira de assistir a um filme nas cores pretendidas pelo realizador é usar um projetor depois de sair do cinema.

H: “Quando eu estava a filmar O Grande Buda+, criei as cenas para assistir no cinema, sem considerar como o filme seria na TV. Não há muito tempo, assisti a um filme no estilo documentário chamado O Grande Silêncio, de Philip Gröning (Il Grande Silenzio), usando um projetor BenQ W3000. O filme conta a história de um mosteiro muito tranquilo preso na neve e como os monges passaram um longo inverno no mosteiro.

Não há diálogo em todo o filme, mas vê-lo num ecrã grande, especialmente com um projetor, permitiu-me mergulhar no ambiente do filme. Era como se eu tivesse vivido ali com os monges durante o longo inverno. Essa experiência foi completamente diferente do que ver na TV ou no ecrã do computador.

Para um realizador, qual é a melhor maneira de assistir a um filme, exceto vê-lo num cinema?

Para ser honesto, foi a primeira vez em que eu assisti a um filme num ecrã tão grande com um projetor em casa, e tudo que quero dizer é que esta experiência foi emocionante. Depois de definir isto em casa, desejar-se-á assistir novamente a todos os filmes que se viram antes. Podemos tê-los visto em formatos de DVD ou Blu-Ray num ecrã de TV, mas vê-los novamente com um projetor traz um novo nível de profundidade e detalhes”.

A série de projetores domésticos BenQ apresenta uma excelente qualidade de imagem de resoluções Full HD, HDR 4K, etc., com a exclusiva tecnologia de gestão de cores CinematicColor™ da BenQ que utiliza a gama de cores padrão internacional (Rec. 709 e DCI-P3) das especificações da indústria cinematográfica, é capaz de restaurar com precisão as cores dos filmes e, assim, projetar as imagens verdadeiras pretendidas pelos realizadores. Não admira que Huang os tenha elogiado.

H: “A coisa mais importante ao ver filmes em casa é a consistência da qualidade nas suas imagens e sons. Da mesma forma que os cineastas seguem a gama de cores da série Rec. 709 ou DCI-P3, a televisão e os sistemas de entretenimento em casa têm os seus próprios conjuntos de especificações, e a Blue-Ray e outras plataformas de TV digital seguem essas especificações. E se o nosso sistema de reprodução de filmes estiver em conformidade com a gama de cores padrão, será capaz de apresentar as cores mais próximas das originais. Por outras palavras, poderia fornecer uma restauração de cores mais precisa, o que, na minha opinião, é mais importante do que qualquer outra coisa quando se assiste a um filme”.

Perfil
Hsin-yao Huang é realizador de documentários. Possui um mestrado do Instituto Superior de Estudos em Arquivamento de Documentários e Filmes, Universidade Nacional de Artes de Tainan.

・ Os documentários de Huang ganharam gradualmente destaque na indústria cinematográfica de Taiwan desde 2000.

・ Em 2011, Huang ganhou o Grande Prémio e o Melhor Prémio de Documentário no Festival de Taipé, com o seu filme Taivalu. O Grande Buda foi a primeira curta-metragem de drama de Huang. Foi nomeada para Melhor Curta-metragem no Golden Horse Awards de 2014.

・ Em 2017, Huang expandiu o O Grande Buda e produziu o drama completo, O Grande Buda+. Não só foi selecionado como o filme de abertura do 19º Festival de Cinema de Taipei, como também recebeu o Grande Prémio, Melhor Reportagem Narrativa, Melhor Direção Artística, Melhor Música e Melhor Edição. O filme também foi indicado para dez prémios no 54º Prémios Golden Horse, incluindo Melhor Longa-metragem e Melhor Ator Secundário. O filme ganhou quatro Prémios Golden Horse, incluindo Melhor Guião Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Banda Sonora Original. Depois de vinte anos a filmar documentários, o próprio Huang ganhou o prémio de Melhor Novo Realizador.

Projetor de Cinema em Casa com 100% Rec.709, Video Enhancer | W3000

・ CinemaMaster com tecnologias avançadas de vídeo e aperfeiçoamento de áudio

・Rec. Padrão HDTV 709 para Melhor Cinematic Color

・ Desvio da Lente 2D para Flexibilidade Extra

Artigos relacionados

TOP